Chá do Manifesto

o dia da mulher e o chá da Mariana

Uff… O quanto me custa escrever sobre as mulheres, mesmo sendo eu uma. Para as perceber acho que o melhor princípio será, conhecer-me a mim própria, partindo do princípio que a instabilidade emocional é um mal comum.

Não seria justo descrever-vos pondo-me noutra pele que vos julgará com os olhos de um Homem, tenho que vos julgar com empatia… São as minhas finas mãos, de unhas vermelhas, que batem nas teclas e me fazem querer assumir tamanha sensíbilidade. É isso que partilhamos, é isso que nos define, é isso que não nos deixa ser tão pragmáticas, mas nos permite fazer com amor. É isso que nos faz genuinamente meigas, maternais e condescendentes, tanto quanto agressivas, egoístas e impulsivas. Quer queiramos quer não é isso que nos distingue do homem sensato, que vive a lógica das coisas numa postura relaxada, nós mulheres possuímos a delicadeza. E assim se equilibra o universo.

A verdade é que toda essa emotividade nos permite sermos quem quisermos, podemos escolher até, ser o homem racional. Somos sereias que furam as águas mais profundas, limitadas à terra hostil de preconceitos, somos camaleões de pestanas compridas, mutantes com perfume de pêssego, serpentes que encantam com a naturalidade das suas curvas, mas que se preservam ao abrigo do mistério.

mary

~ Mariana Cruz

      

Anúncios
Standard

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s