Chá do Manifesto

Reflexões…

Era sexta-feira à noite, para uns noite de descanso, para outros de diversão. Eu escolhi o descanso e programei ver um filme, quando a emissão é interrompida para um “Última Hora”e a minha mãe me chama a atenção para ver. Parei o filme e nem queria acreditar no que estava a ver e ouvir, vários atentados em Paris, o número de mortos a subir cada vez mais, o pânico estava instalado.

A única coisa que me saiu da boca naquele instante foi “Mas porquê?”. Uma pergunta que ecoa por este mundo fora onde países sofrem atentados diariamente, mas a verdade é que quando nos toca aqui tão perto a sensação é outra. Terror, medo, perda de fé…

Entretanto foram saindo várias imagens, do mais chocante que pode haver, foram ouvidos relatos de sobreviventes, foram-se dando a conhecer os mortos.

A comunicação social põe tudo cá fora, a verdade e a especulação misturam-se nestes momentos de caos.

A verdade é que a humanidade não aprende, comete os mesmos erros ao longos dos tempos, o homem só sabe criar guerra, impor a outros povos outros pensamentos como se fossem lei, esquecem-se do respeito mutuo.

Há quem grite a plenos pulmões que é assim que o Deus deles quer. Será que é? Ou serão as palavras de homens poderosos, a ganância, o fanatismo, a mente fraca, a sede de sangue e de guerra?

O objectivo é simples: espalhar o terror, semear o medo, fazer crescer a insegurança e pelo caminho matar o maior número de inocentes possível. Não há nada que justifique estes atentados, o porquê não tem resposta.

Não consigo imaginar como estes atentados mudam aquelas vidas, não só dos sobreviventes e das famílias das vítimas, mas de todos os parisienses. A cidade da luz foi apagada, mas ela é forte, vai-se reerguer.

Não há palavras que consolem tanta dor para todas estas pessoas…

É nestes momentos que perco a fé na humanidade, afinal onde é que vamos parar? Porque nos querem tirar a alegria de viver e a liberdade?

Para estes terroristas talvez estas pessoas fossem números, mas não são. São pessoas com vidas, com histórias, que tinham um futuro que eles em segundos destruíram.

Parece um filme de terror de uma sexta-feira 13, mas não é…aconteceu mesmo. E porquê?…

Acabo esta reflexão com um excerto de uma música que adoro do John Lennon e que, sem dúvida, se encaixa neste momento:

“Imagine there’s no countries
It isn’t hard to do
Nothing to kill or die for
And no religion too
Imagine all the people
Living life in peace

You may say
I’m a dreamer
But I’m not the only one
I hope some day
You’ll join us
And the world will be as one”

12274240_1061133957252755_2615371675783519562_n

~ Um chá de dor e reflexão ~

Anúncios
Standard

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s