Chá do Manifesto

Cuidem de vocês e sejam felizes

O nosso Chá do Manifesto começou há mais de dois anos com uma crónica sobre a “Conversa do Bandido” e a verdade é que cada vez mais concordo com ela.

No último ano vivi duas situações muito difíceis que colocaram em causa toda a minha auto-estima, o meu valor e a minha dignidade. Primeiro com um namorado que nada tinha de compatível comigo, que queria saber todos os passos que eu dava, ao ponto de ser tão ciumento que me afastei da maioria dos meus amigos. Deixei de puder ser espontânea, porque não podia sorrir ou dizer piadas na presença dele. Tinha de pensar sempre antes de falar.

Tínhamos também formas de viver muito diferentes. Ele idealiza uma mulher que seja calma, que dê pouco nas vistas, que tenha pouca opinião e que arrisque pouco. No fundo, uma mulher igual a tantas outras, que acabe por ser totalmente submissa.

Aprendi muito com ele. Acima de tudo, retiro a lição mais importante: amar é sermos nós próprias e que sem amizade nenhum namoro faz sentido. Eu quero aventura, quero extravagância, quero rir muito. No fundo, quero ser eu própria, uma rapariga fora da caixa. Quero dizer o que me vem à cabeça, mesmo que seja a coisa mais disparatada do mundo e que ele me entenda ao ponto de dizer algo ainda mais disparatado.

Ele ensinou-me que nós mulheres não nos devemos rebaixar por seja quem for. Não guardo rancor, mas com ele a ansiedade entrou na minha vida. Foram vários os ataques de ansiedade que se apoderaram de mim com aquela relação extremamente tóxica.

tumblr_m02yerAvRs1qhx1b5o1_500 (3)

Posso mesmo afirmar que o que me tem salvado é o desporto. O desporto, o amor da família e dos bons amigos.

Mais tarde, apareceu alguém que parecia ser mais compatível comigo. Tinha sentido de humor, gostava de comunicar como eu. Mas desde o início eu reparei que ele tinha a típica “conversa do bandido”. Apesar de estar totalmente fascinada com ele, à primeira contrariedade ele saiu da minha vida sem dó nem piedade, quando a ansiedade ainda fazia parte do meu dia-a-dia.

Hoje olhei-me ao espelho. Concluí que a dona da minha vida sou eu própria. Que não preciso de homem nenhum para ser feliz.

No entanto, tudo isto me revolta. Cada vez mais as mulheres se deixam levar pela “conversa do bandido” e dão cabo da auto-estima e do amor próprio.

Senão te aceita tal e qual como tu és, então essa pessoa não serve para a tua vida. Senão podes ser espontânea e te impõe uma personalidade igual à de todas as outras mulheres afasta-te imediatamente. Se te manda abaixo e desaparece quando mais precisas, essa pessoa não é digna sequer da tua amizade.

Hoje mais do que nunca o meu amor-próprio está a salvo. A minha auto-estima está livre destas “canções do bandido”.  Sou apenas eu, os amigos, a família e tudo aquilo que me põe feliz. A ansiedade está a desaparecer dia após dia. E sempre que pratico desporto, agradeço por ele me salvar a vida.

Portanto, sejam fortes o suficiente para mandar embora quem não vos aceita e quem vos controla. Sejam fortes para cortar das vossas vidas quem usou a vossa fragilidade para obter o que tanto queria. Na maioria das vezes os homens apenas querem sexo. E descartam-vos ao primeiro obstáculo.

A partir de agora acabou a “canção do bandido”. Eu quero um amigo, um companheiro, alguém que esteja lá para mim e me respeite. Que não me abandone só porque algo na minha vida não vai bem.

Descobri que o amor de um bom amigo, de um animal de estimação e de quem nos adora como somos é algo que devemos preservar na nossa vida. E que nenhum dinheiro do mundo paga o afeto da nossa família, a liberdade de uma corrida, de um passeio pela natureza. Somos a geração em que ter está acima do ser. E eu não quero viver assim…nem nunca mais vou cair na “conversa do bandido”. Infelizmente, eles fazem fila indiana por aí.

Agradeço a eles por me transformarem numa mulher mais forte! Tão forte que agora acordo todos os dias com a alegria de puder ser eu própria sem depender de ninguém.

Sejam vocês mesmas, as outras já existem!

A vida é demasiado curta para sermos iguais ao mundo interior! Preguem um murro na mesa. Não deixem ninguém vos controlar. Não deixei ninguém usar vocês.

“Sometimes you have gotta fall before you fly”

9242965_WmVzO (2)

 ~Um chá de força cheio, por favor~

Anúncios
Standard

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s