Chá das 3

A melhor Tarte de Amêndoa de Portugal vai adoçar o teu Natal.

Hoje, o headshake apresenta-vos uma história de coragem por parte de alguém que nunca desistiu de lutar: falamos de Catarina Noronha, fundadora da marca A Tarte. Sim, sim, essa mesma – a tarte de amêndoa que foi considerada a melhor tarte de amêndoa de Portugal pela Time Out Lisboa ;)

022atarte_nunofontinha_7847

Sabiam que a marca nasceu devido ao desemprego de Catarina? A fundadora andava à procura de emprego e achou que até encontrar alguma coisa na sua área – que era Publicidade – podia dar apoio ao seu amigo Vasco que fazia tartes de amêndoa para consumo da família e amigos. A verdade é que o assunto tornou-se sério e a ocupação tornou-se a “tempo inteiro”. A casa de Catarina transformou-se na “Casa da Tarte” onde assegurava 300 a 400 tartes por mês…com a ajuda de toda a sua família. Tornou-se assim claro que este era um projeto que ia longe :)

Catarina passou a dedicar-se, em exclusivo, a este negócio e pôs em prática os seus conhecimentos de base – temos de admitir que todo o design da marca é maravilhoso! E os números falam por si:  mais de 5 mil Tartes comercializadas, por mês; quase 100 pontos de venda em Portugal (3 lojas próprias) e 90 lojas em Espanha [sendo que estudam agora entrada em França e Reino Unido].

026atarte_nunofontinha_7865

A marca é giríssima, o seu design aprovado pela designers do headshake e a tarte aprovada pelas gulosas do headshake. Por tudo isto, porque os nossos seguidores merecem ser mimados e porque a marca está a comemorar as grandes conquistas deste ano, temos para oferecer 3 Tartes a 3 seguidores. Tudo isto porque “A Tarte tem a receita perfeita para umas festas felizes” e é o doce que falta na vossa mesa ;)

15542263_1169679873108100_4020150134465220821_n

A mecânica do passatempo continua a ser do mais fácil que há e, por isso, não há desculpas para não participar. Nota: os vencedores deverão levantar a sua tarte de amêndoa nas lojas próprias El Corte Inglés ou Amoreiras Shopping Center.

  • Fazer like na página do headshake e d’A Tarte no Facebook
  • Fazer like na página do headshake e d’A Tarte no Instagram [opcional]
  • Preencher o formulário abaixo até dia 20 de dezembro às 23h59 (permitida apenas uma participação por endereço de e-mail).

021atarte_nunofontinha_7846

Nota: os vencedores são selecionados via random.org e serão contactados via email para proceder ao levantamento d’A Tarte. As participações são válidas até dia 20 de dezembro até às 23h59.

~ A Tarte é única. O vosso Natal também.

Standard
Chá das 3

Este Natal, pelo sim, pelo não…oferecermos Beirão!

Quem acompanha o headshake tem vindo a perceber a nossa pequena [grandeeeee!] paixão pela marca. A forma como comunicam com o seu público, o sentido de humor au point  – que já os caracteriza e que faz parte das suas publicações nas redes sociais, as campanhas que desenvolvem e o enorme fairplay que têm.

Por todas estas razões [e porque este Natal o headshake, pelo sim, pelo não quer oferecer Licor Beirão aos seus seguidores] vamos promover, em parceria com a marca, um fantástico passatempo. O melhor de tudo? É que aqui não precisam de participar com moderação ;)

15419241_10210515066580559_1147536711_o

A mecânica do passatempo não tem nada que saber e não podia ser mais fácil. Ora vejam:

  • Fazer like na página do headshake e do Licor Beirão no Facebook
  • Fazer like na página do headshake e do Licor Beirão no Instagram [opcional]
  • Preencher o formulário abaixo até dia 14 de dezembro às 23h59 (permitida apenas uma participação por endereço de e-mail).

Mas afinal o que temos nós, e o Licor Beirão, para oferecer? Como queremos premiar mais do que um participante temos mais do que um prémio:

  • Ao vencedor, uma garrafa de Licor Beirão e um copo;
  • Ao segundo lugar, dois packs de 2 miniaturas de Licor Beirão e 2 copos de shot;
  • Por fim, o terceiro lugar receber dois packs de 1 miniatura de Licor Beirão com 6 bombons deste Licor.

15354158_10210515065980544_1203431554_o

Confessem, é ou não é uma oferta magnífica para este Natal? :)

Nota: os vencedores são selecionados via random.org e serão contactados via email para proceder ao envio dos prémios. As participações são válidas até dia 14 de dezembro até às 23h59.

~ Este Natal, pelo sim, pelo não…oferecemos Beirão ;)

15409554_10210515091621185_441969949_o

Standard
Chá das 3, Evento do Mês

O Natal é na FIL na NATALIS claro !!!

Mercado de Natal, Mercado de Chocolate, Marcas a preços de fábrica, Solidariedade e diversão para toda a família, o Natal é decididamente na Fil de 7 a 11 de Dezembro!!!

Já não tem muito tempo para comprar as suas prendas de natal, mas ainda vai a tempo de o fazer e ainda por cima a preços bastante apetecíveis. Na Natalis pode viver o espírito natalício com um conjunto de actividades alusivas à época, workshops, espectáculos e ainda provar algumas iguarias. 

Aproveite o fim de semana alargado e vá divertir-se com a família ou com os amigos à feira mais natalícia, o programa promete muita diversão para todas as idades e para todos os gostos. Pode consultar todas as informações em: natalis.fil.pt/

Para ganhar um convite duplo para a Natalis siga os seguintes passos:

  • Coloque Like na página de facebook do headshake
  • Coloque Like na página de facebook da Natalis
  • Preencha o quadro em baixo com os seus contactos

As primeiras 10 participações recebem uma entrada dupla na feira. Quem é amigo quem é?

Depois de seguir todos os passos, aguarde o nosso contacto! Boa Sorte!!!

~um chá com cheiro a natal~

 

Standard
Evento do Mês, Eventos com Personalidade

Vodafone Mexefest

Os dias 25 e 26 de Novembro foram chuvosos e frios, mas nós nem notámos, percorremos a avenida da Liberdade de teatro em teatro, de sala de espetáculo em sala de espetáculo e nem os pés molhados e as mãos frias nos fizeram parar, o Vodafone Mexefest foi bom e recomenda-se.

Eram 10 salas, mais de 40 concertos e um leque vasto de artistas e estilos musicais para desfrutar em dois dias. Mais do que nunca, desejamos ser omnipresentes e poder ir e “estar” em todos, mas sabíamos de ante mão que isso não ia ser possível. Quisemos aproveitar os concertos ao máximo e perder o menos tempo possível e por isso fizemos uma pré-seleção do que iríamos ver e traçamos um caminho.

O nosso primeiro dia de festival começou com aquela excitação miudinha de quem deseja abanar o esqueleto ao som de boa música e nunca mais vê a hora “disso” acontecer. O Check-in aconteceu sem problemas, sem filas nem confusões e sem darmos conta voámos para o capitólio que não conhecíamos, mas num instante o descobrimos.

nerve

O primeiro concerto foi Valas, um rapper de Évora que começou agora a dar que falar com o seu primeiro single “As Coisas”. Potencial não lhe falta e talento também não, iremos de certeza ainda encontra-lo em grandes palcos.

Ainda no capitólio, espaço que nos surpreendeu pela sua polivalência, assistimos ao concerto de Mike El Nite, sendo que foi Nerve quem deu os primeiros acordos. Valeu a presença da Capicua como convidada especial, tudo o resto não nos convenceu.

Saímos 10 minutos do capitólio e íamos perdendo Talib Kweli que “mandou” o capitólio a baixo. Tudo nele cativa, as músicas, os gestos, até quando só fala e falou bastante. O público estava vibrante, quem não conseguiu entrar, assistiu de fora, mas nós felizmente vimos tudo de perto e não perdemos “pitada”.

talib-kweli

Antes de deixarmos o capitólio, ainda dêmos um olhinho em Diamond, o som era bom e prometia um concerto “à maneira” mas o Teatro S.Jorge esperava-nos.

CEU, oh ceu que concerto fabuloso. Ainda hoje não conseguimos esquecer o timbre doce da tua voz e as músicas que nos embalaram e deixaram o tempo passar sem darmos por isso. As musicas são leves, as letras são suaves e ficam no ouvido, o corpo quer balançar constantemente. Não é à toa que já és considerada uma das melhores autoras da música brasileira. Felizmente, tivemos oportunidade de te conhecer e de registar o momento.

lu-mais-beu-mais-ceu

O primeiro dia já ia longo, mas faltava a cereja no topo do bolo. Voámos até ao coliseu e terminámos o dia em grande, ao som de Jagwar MA que encheu o coliseu e mesmo quem ainda não tinha abanado o capacete deu por si a abanar o corpo inteiro. As batidas e os ritmos eram contagiantes e era impossível estar parado. Mesmo tendo escolhido Lisboa para o fim da sua tour, Jagwar não mostrou cansaço e “deu tudo”.

A expectativa para o segundo dia era alta, queríamos ir aos locais onde ainda não tínhamos conseguido ir e aproveitar o máximo de concertos possíveis. Fizemos o aquecimento com Meg Baird na Sociedade de Geografia de Lisboa. Não consigo imaginar local mais perfeito para aquela voz melancólica e fina. O espaço é maravilhoso, o público faz “silêncio sepulcral” e a voz da Meg percorre a sala, os nossos ouvidos e chega mesmo a tocar-nos a alma.

meg-baird

Logo que o concerto acabou, mudámos de sala, mudámos de registo, mudou a sonoridade mas a qualidade manteve-se. Gallant encheu o coliseu de boa música, encheu o palco com os seus movimentos acelerados e encheu os nossos corpos de ritmo. A revelação deste Mexefest não só cativou, como deixou marca. Saímos ainda a cantar, com uma vontade imensa de ficar.

gallant

Retomámos a marcha, desta vez a caminho do Tivoli BBVA para ver Malu Magalhães e foi aqui que a nossa rota se alterou, a fila era tão grande, chovia tanto que decidimos quase em simultâneo procurar abrigo no teatro S.Jorge.

Quando entrámos na sala nem queríamos acreditar, fomos completamente surpreendidas pela Sara Tavares, que como sempre, deu um concerto memorável com ritmos quentes vindos diretamente de Cabo verde, ficamos agradecidas pelo seu Balancê e pela forma como foi cumprimentando o público que saía e entrava constantemente.

sara-tavares

Ainda faltavam alguns minutos para o concerto de Mayra Andrade, mas fizemo-nos à estrada a caminho do capitólio.

Mayra Andrade não era de todo uma surpresa, já conhecíamos o seu talento, a sua musicalidade misturada com crioulo e leveza na voz. Quando já ninguém esperava mais nada, Mayra Andrade com a sua modéstia e humildade natural, confessou não ter nada preparado para o caso do público pedir “mais” e ofereceu-se para cantar à capela, foi sem dúvida um dos momentos mais marcantes deste Mexefest. A sua voz e a mensagem de que o tempo passa milagrosamente e que nos cura das mágoas do passado, deixou o público rendido.   

mayra-andrade

Seguimos para o coliseu com a promessa de a voltar a encontrar lá juntamente com Branko que fechou o Mexefest com chave de ouro. O coliseu encheu como já era esperado e fomos inundados com as batidas rítmicas, absolutamente contagiantes. Mayra Andrade surgiu no fim do concerto e mostrou mais uma vez o ar da sua graça.

Despedir-nos do Vodafone Mexefest foi difícil, queríamos mais, pelo menos mais um dia, porque ficaram salas por visitar, salas que só temos oportunidade de ver no Mexefest, ficaram por assistir concertos de bandas e pessoas que certamente nos iriam surpreender.

O evento decorreu sem grandes problemas, tirando uma ou duas filas que nos atrasou ou que nos fizeram mudar de rota. Até capas para a chuva nos deram, só não conseguimos provar a boa da bola de Berlim e o chocolate quente.

“Fazemos uma vénia” à capacidade de ter numa rua uma diversidade musical de tão boa qualidade em salas tão diversas. A originalidade na sinalética e as dinâmicas realizadas numa tentativa de integrar os cidadãos e os visitantes da cidade de Lisboa é de génio.

Melhor do que ter estado neste Mexefest , será voltar a estar presente no próximo!!! We hope so!!!

~um chá dançante ~

Standard
Entre a Arte e a Informação

Uma viagem em tons laranja e com trocadilhos. Why not?

Aos olhares mais atentos, há um laranja mecânica salta à luz dos mupis espalhados pela cidade. É a nova campanha da easyJet, Why not?. Já há algum tempo que a imagem gráfica da companhia aérea low cost inspira pela criatividade e claro, a novos desafios e aventuras. A recente campanha não é excepção.

Uma imagem gráfica que, cada vez mais, assenta no minimalista e na simplicidade formal. Desta vez a Uzina, agência de publicidade, aposta num jogo de expressões e trocadilhos aliado a uma representação simples e clean. O laranja, cor primária da marca, pinta esta campanha e realça a imagem, onde as pessoas são o elemento único, numa combinação entre texto e imagem muito interessante e bem jogada.

Uma campanha mais minimal comparativamente com as anteriores, mas que estabelece bem a relação, mantendo a estratégia de comunicação: direccionada para os que gostam de partir à descoberta de novas culturas e aventuras, seja para uma viagem com amigos, seja para uma viagem a dois, ou até sozinho. “This is Generation easyJet” e temos a certeza plena que esta divertida campanha atiça a vontade de apanhar o primeiro avião e viajar. Why not?

14494641_1409912772371371_1637858932241120596_n

14516512_1409912785704703_3553555713558005504_n

14494825_1409912789038036_7347790705317143703_n

~ um chá de laranja e uma viagem ~

Standard
Evento do Mês

Vamos levar 10 leitores a visitar a Expo Sync Lisboa

foto-de-capa-joao-buraka

A Expo Sync Lisboa é o primeiro Salão das Tecnologias Audiovisuais e Musicais, Fotografia e Multimédia. Abre portas já dia 20 a 23 de Outubro na FIL -Feira Internacional de Lisboa, mais propriamente no pavilhão 1. 

É um evento para Profissionais, aberto ao Grande Público com interesse nas tecnologias de consumo, som e imagem, e Escolas.

Combina uma mostra dinâmica de equipamentos e soluções, com a realização de conferências, masterclasses e workshops nas áreas da Fotografia, Vídeo e Cinema, Produção Musical, Som & Iluminação, Comunicação Visual, Televisão e Multimédia.

O headshake está a oferecer 5 bilhetes duplos para a Expo Sync. Para participar basta preencher o formulário em baixo. As primeiras 5 participações serão as felizes contempladas que iremos contactar posteriormente por mail. 

Mais informações sobre a Expo Sync:

Site – http://exposynclisboa.fil.pt/

Facebook – https://www.facebook.com/exposynclisboa/?fref=ts

Standard
Chá das 3

ORUS: Fixem este nome

Orus, é o nome que devem registar, pois temos a certeza que ainda vai dar muito que falar.

A Orus Clothing não é apenas uma marca portuguesa de vestuário para jovens, é também uma ideia de dois jovens empreendedores com o objectivo de se tornar uma referência no mundo da moda jovem.

É uma marca recente, criada em Fevereiro de 2016, mas que já soma pontos e apresentando-nos uma nova tendência no vestuário feminino e masculino. A grande diferenciação da Orus é o processo de produção dos seus produtos. A marca assenta os seus valores no respeito pela natureza e pelo meio ambiente, principal foco da marca e que, orgulhosamente, se afirma como uma marca “Eco-friendly”, que oferece produtos de qualidade a preços acessíveis.

O Heashake é amante da natureza, dos animais, mas principalmente, do respeito pelos que habitam neste planeta, por isso, aplaudimos esta marca por assentar a sua essência num dos pontos mais sensíveis da nossa existência: O nosso planeta.

2016-08-30-10-28-43-1  2016-08-30-10-28-38-1

  dfsdf

Neste momento, a Orus aposta na comercialização dos seus produtos online,através do seu site. Portugal e Espanha são os maiores mercados, no entanto, a Bélgica, Ingraterra e Itália estão na mira da Orus.

Desde a sua recente existência já conquistaram parcerias de peso como os Cafés Torrié e a Licor Beirão.Uma das fortes formas de promoção da marca é através do vasto leque de embaixadores. Entre actores portugueses e jogadores de futebol, todos se renderam à Orus.

francisco-geraldes   miguel-silva

Outro ponto bastante relevante é a “pinta” e boa-onda do vestuário. A Orus consegue aliar os seus métodos e materiais eco-friendly a modelos descontraídos e com boa vibe.

Não somos especialistas em moda, mas podemos dizer que gostamos e aprovamos!! :)

Fiquem atentos, pois em breve teremos novidades…

c9690f05-aaae-4262-9e33-f81b84041487

http://www.orusclothing.comhttp://www.facebook.com/orusclothinghttp://www.instagram.com/orus_clothing

~ A Orus é uma marca portuguesa com certeza, e fica bem! ~

Standard
Chá das 3, Eventos com Personalidade

O Outono chegou e vestiu-se Natura

O sol quente continua, mas o verão já lá vai, os dias são mais curtos, as cores vivas dão lugar aos tons castanhos,  já é Outono e chega também às vitrines das lojas Natura, com a colecção Outono/Inverno 2016/2017.

A celebrar 20 anos em Portugal, a Natura Portugal reuniu diferentes bloggers e várias caras conhecidas da televisão, no passado dia 22 de Setembro, na sua loja no Centro Comercial Colombo, em Lisboa, para dar as boas-vindas ao Outono e apresentar a nova colecção da marca para esta estação.

natura_fw16_0400

dsc_7273

Entre franjas, brocados e estampas, está é uma colecção única e inspiradora, repleto de raízes que atravessam diferentes culturas e etnias e nos vestem numa longa viagem: os xailes, o veludo e a bijuteria levam-nos ao Gipsy, às suas cores e aos seus acessórios; as peças mais delicadas e mais femininas levam-nos até ao outro lado do mundo, ao Oriente de flores de cerejeira, de tecidos acetinados e suaves; e as peças mais quentinhas, de malha, entre casacos, botas e botins leva-nos ao rústico, ao campestre (estão a ver a América Latina, aquelas cores mil, aqueles padrões que nos enchem os olhos, é isso). Uma colecção que se veste de inspirações Gipsy, o Oriental e Artisan.

Uma nova campanha, um novo conceito que sublinha o mote “Ser Única é Ser Natura”. Desta feita, Joana Freitas foi o rosto escolhido, representando, deslumbrantemente bem, esse conceito, esta filosofia da marca, essa mulher única, natural, jovem.

Um evento exclusivo, onde as surpresas e novidades não foram só para esta nova colecção. O Damasceno, uma marca de vinhos da Quinta da Serralheira, em Palmela, apresentou-nos um vinho branco de castas Fernão Pires, Chardonnay e Verdelho, um vinho aromático, meio seco, jovem e generoso. Para nós a combinação perfeita que nos deixa expectante quanto à Reserva Tinto.

_dsc1986 _dsc2452

Incrivelmente feminina, a Natura é uma marca que nos continua a surpreender-nos pela autenticidade e personalidade, prende qualquer olhar feminimo. Estamos tão apaixonadas que quase dá vontade de chamar pelo frio!

~um chá único, um chá natura ~

Standard
Chá das 3, Chá do Manifesto, Shake it Now

Geração “Estágio Profissional”

Um destes dias, ouvi uma rapariga no metro a falar ao telefone, tão alto que ouvi a conversa toda. Estava empolgadíssima com o novo horário escolar, principalmente com as tardes livres de Quarta e Sexta, com os professores que lhe tinham calhado (referiu gostar de quase todos), as disciplinas pareciam interessantes, só não tinha ainda encomendado os livros (mas isso era o menos importante).

Ai que saudades, que saudades tão grandes de ter a vida escolar como única preocupação. Que saudades tão profundas da expectativa do início do ano, do horário, das disciplinas novas e dos professores. Acima de tudo, que saudades imensas da ilusão de acreditar que iria acabar os estudos e teria uma profissão de sonho à minha espera.

Deixei esse mundo há cerca de 3/4 anos porque o mestrado não conta. Quando acabei a licenciatura, o mundo dos adultos revelou-se negro, procurei emprego durante meses, mas foram necessários apenas alguns dias para perceber que tinha escolhido o curso errado e que apesar dos professores me terem vendido a ideia de que era um bom curso, não ia conseguir ganhar mais do que 500€ mês.

Decidi ir para mestrado numa tentativa de mudar de área, de dar continuidade aos estudos e de investir mais na minha formação. O primeiro emprego que tive ainda durante o mestrado, foi um estágio profissional, porque hoje em dia 70% (e estou a ser boazinha) das ofertas de trabalho são estágios profissionais.

Fui explorada até mais não, horas e horas muito para além do que era suposto. Aprendi e cresci imenso mas em troca tinha que prescindir do meu subsídio de alimentação e ficar meses sem receber porque a empresa sem o dinheiro (mama) do IEFP não tinha como me pagar.

 Mas tudo bem, a “malta” aguenta porque é currículo, porque não tem experiência, porque precisa crescer profissionalmente, porque não tem contactos, blablabla.

Até aqui tudo bem, não fosse o meu segundo trabalho também ser “supostamente” mais um estágio profissional, que nunca chegou a acontecer por questões legais da empresa. Estive aproximadamente um ano a receber pela “porta do cavalo” sem descontos e com a promessa permanente que iriam regularizar a situação.

Todas as semanas me faziam acreditar, que se desse provas à empresa de ser competente e de merecer ficar que iriam acabar por me contratar com “boas condições de trabalho”. As “boas condições “para alguém que estuda 17 anos da sua vida e que começa a ter alguma experiência de trabalho é receber no mínimo 1.000€. Mas até então nunca tinha recebido mais do que 650€ (máximo).

Hoje em dia vou no terceiro trabalho, as condições de trabalho melhoraram ligeiramente. Mas a lenga lenga não muda: dar provas, dar horas à casa, mostrar que mereço ficar, mostrar que sou eficiente e então um dia (suponho que muito longínquo ou imaginário ou mesmo inexistente) terei um contrato com “boas condições de trabalho”. Ainda tentaram mais uma vez jogar a carta do “Estágio Profissional” mas essa já não pega.

Das pessoas que conheço da minha geração (e são muitas, porque o facebook aumenta todos os dias o nosso leque de amizades) contam-se pelos dedos de uma mão (uma mão com poucos dedos) os que têm uma vida profissional estável.

Oiço todos os dias que a minha geração “não quer é fazer nada e viver para sempre à custa dos pais”. Imagino se toda a gente quisesse trabalhar… não havia IEFP que desse conta nem mercado de trabalho suficiente para dar “despacho” às fornadas de licenciados que saem todos os anos das universidades.

Arranjar emprego sem ser estágio é missão praticamente impossível e se não tiver características de pró-atividade, espírito de iniciativa e eficiência que não se aprende em lado nenhum, bem pode enviar CV´S.

A minha geração é a “Geração Estágio Profissional”, é a geração que faz estágios atrás de estágios, vive numa constante de dar provas e de se sacrificar em prole de uma independência pessoal e profissional, de uma vida com “boas condições de trabalho” que provavelmente chegarão, quando já não houver condições físicas nem mentais para as gozar.

~um chá de manifesto~

headshake

Standard
Chá das 3

Ganha um relógio TIMEX

A TIMEX faz 162 anos e por isso vamos oferecer um relógio.

passatempo

Weekender T2P142 | PVP 55 euros

Para participar basta:

  • Colocar like no facebook da Timex Portugal
  • Colocar like no facebook do headshake
  • Preencher o formulário em baixo

Só é permitida uma participação por e-mail.

Podes participar até dia 8 de Julho às 12h00. Os vencedores serão escolhidos aleatóriamente pelo random.org e serão posteriormente contactados pelos contactos pessoais disponibilizados.

~um chá de sorte~

Standard