Até perder a vista

Arcos e livros

De linhas, curvas e retas, nasce o design, a arquitetura e a forma de tudo o que nos rodeia. Funciona através da simplicidade, que não é tão fácil de alcançar como se parece. A soma de uma quantas retas e uns quantos arcos, com o jogo de ângulos e perspectivas, pode resultar numa arte, se bem trabalhados!

Hoje mostramos como o design se junta à decoração e à arquitetura para tornar um espaço comum num sítio inspirador! E a mente do homem serve de criador neste jogo de sensações. 

A empresa Anagrama, sediada no México, é uma das grandes agências já faladas aqui no blog. É seguida na plataforma de projetos Behance por mais de 120 mil pessoas e no Facebook por mais de 160 mil. É, portanto, uma dose inspiradora para muitos designers. 

Desta vez, Anagrama presenteia-nos com um projeto de arquitetura e design de interiores de uma biblioteca sediada na cidade Monterrey, Mexico – Conarte Library.  Conarte visa promover e estimular a expressão artística e apoia a preservação e enriquecimento da cultura. Fazia então sentido estudar um espaço que desse valor à experiência da leitura. 

Anagrama criou um espaço “design-intelligent” que envolve o leitor. As estantes dos livros foram projectadas para formar uma cúpula que cobre o tecto da biblioteca e joga com a perspectiva visual, assumindo mais do que a sua função básica. As paredes são preenchidas por um gradiente de cor azul que permite dar profundidade. O arco iluminado ao fundo da escadaria simula o ponto de fuga da estrutura, criando um equilíbrio perfeito entre a cor e perspectiva. 

O resultado é um ambiente envolvente e tranquilizador, ao mesmo tempo que inspira e refresca, ao invés das típicas bibliotecas que tendem a ser monótonas e aborrecidas. 

Livraria (Bookstore)

Livraria (Bookstore)

~ Um Chá e muitos livros num local inspirador

Anúncios
Standard
Até perder a vista

Livro purifica a água

Apesar do mote dos últimos dias ser os refugiados que migram para a Europa, continuamos a ter nos países subdesenvolvidos milhões de pessoas sem água potável, sendo esta uma das grandes causas de morte.

A Organização Mundial de Saúde estima que mais de 660 milhões de pessoas no mundo não têm acesso a água própria para consumo e que mais de três milhões de pessoas morrem, todos os anos, devido a doenças relacionadas com a falta de qualidade da água.

Mas hoje damos a conhecer um projeto que pretende combater estes números! Theresa Dankovich criou o Drinkable Book, um livro, à primeira vista, igual a tantos outros, mas que tem uma particularidade muito especial. É que o seu objetivo principal, como de outros livros, não é ser lido, mas sim purificar a água! A ideia parece estranha no mínimo mas Teresa Dankovich conseguiu a proeza que poderá ajudar muitos países subdesenvolvidos. As folhas do livro podem ser arrancadas e utilizadas como filtros para purificar a água, eliminando 99% das bactérias da água contaminada, como a E. coli e a salmonela.Theresa, no decorrer da sua tese de doutoramento na Universidade McGill, em Montreal, no Canadá, apercebeu-se que a prata elimina as bactérias presentes na água e não a torna prejudicial à saúde. Através desta informação, Theresa inventou um papel com nanopartículas de prata e desenvolveu um método de filtrar a água simples, económico e sustentável. 

The Drinkable Book™ é, ao mesmo tempo, um filtro de água e um manual de instruções de como limpar a água. Para filtrar a água arranca-se uma das páginas do livro, coloca-se na caixa de filtros, que é usada para guardar o livro, e verte-se a água contaminada. Poucos minutos depois a água torna-se potável. Cada filtro pode durar até 30 dias e consegue filtrar 100 litros de água contaminada, de forma que um livro inteiro permite a filtragem de água potável para cerca de um ano.

A ideia deste livro partiu de Theresa, que se uniu à empresa criativa DDB New York e à associação WATERisLIFE, que conceberam o livro. Com alguns donativos conseguiram testar os papeis no Ghana, Haiti, India e Kenya. Os resultados dos testes foram positivos, comprovando que os papeis conseguem purificar diferentes águas no mundo. 

Com a ajuda da associação sem fins lucrativos International Development Enterprises, foram ainda feitos estudos junto da comunidade de Bangladesh, também positivos. Luke Hydrick, designer estudante da University of Cincinnati School of Design, juntou-se também ao grupo e criou já uma variedade de suportes para os filtros que foram também testados em Bangladesh, de forma a serem agora aprimorados de acordo com o feedback da comunidade.  

Neste momento, as organizações estão a apelar ao financiamento do projeto para que continue o trabalho de desenvolvimento e aumente o trabalho de produção e os testes de campo. O objetivo são que sejam distribuídos filtros de papel para centenas a milhares de pessoas. Está a decorrer uma campanha no Indiegogo, com o objectivo de angariar 30.000 dólares, que correspondem a 27 mil euros, para fabricar os primeiros mil livros. Vamos ajudar a contribuir para a distribuição de água potável em todo o mundo!

~ Um chá e um livro para salvar o mundo

Standard
Entre a Arte e a Informação

Tipos de letra, são eles todos iguais?

Falemos de Tipografia. Sim, de tipos de letra. Tanto nos eventos, na comunicação ou no design, a tipografia é essencial e praticamente obrigatória. Pode parecer um assunto chato e desinteressante mas é sem dúvida algo presente aos nossos olhos todos dias! Nos sinais de trânsito, nas placas de informações, nas pastelarias, restaurantes, multibancos. Não conseguimos fugir. A tipografia é um meio essencial de comunicação. Apesar da pressa do dia-a-dia nos forçar a focar apenas no conteúdo escrito, o nosso cérebro absorve diversos tipos de letra durante o dia. A designer Sarah Hyndman, publicou recentemente The Type Taste, um livro que explora as nossas respostas emocionais e subconscientes aos diferentes tipos de letra.

The Type Taster Book

Este é um livro que todos os designers deviam ler, inclusive “não-designers”. É, a meu ver, um livro que explora um mundo complexo muito pouco falado e ao qual se dá pouca importância, até mesmo na educação do designer. No livro, Sarah Hyndman mostra como os tipos de letra podem influenciar uma tomada de decisão, podem evocam memórias ou afetar outros sentidos, através de uma pesquisa aprofundada, feita pela própria durante oito meses, a qual lhe permitiu abordar o tema de uma forma divertida e educacional para todos os públicos. São também vistas de perto as personalidades individuais de diferentes tipografias e observadas as escolhas de tipos de letra de cada pessoa e o que estas revelam sobre a sua personalidade.

O livro começa com uma introdução sobre a importância da tipografia, seguindo-se de uma breve história desde a década de 1450 da tipografia até aos dias de hoje, bem como algumas regras gerais sobre o uso. Mas melhor que isso tudo, o livro aborda a reação à tipografia através de diversos diagramas, quizzes e jogos. Um dos jogos é o Type Dating Game, no qual as pessoas imaginam que estão num evento de Speed Dating e têm de escolher um tipo de letra que as identifique/represente, um tipo de letra com o qual teriam um encontro, ou dos quais se tornariam amigos. Font Census é outro jogo onde é necessária a escolha de um tipo de letra pelos participantes e, os mesmos, têm de responder a diversas perguntas sobre a tipografia escolhida, como “Que trabalho esta faria?”.

Outra coisa engraçada sobre este livro é que se pode escolher entre 5 capas, cada uma com uma tipografia diferente: Baskerville, Clarendon, Didot, Gill Sans, Helvetica. Dentro do livro pode-se encontrar a análise de personalidade correspondente à escolha da capa. Cada livro vem ainda com uns óculos azuis e vermelhos para se observar uma serie de imagens azuis e vermelhas, que revelam o que uma tipografia diz diretamente e o que pode transmitir implicitamente.

ONDE COMPRAR O livro está apenas disponível para comprar diretamente através site Type Tasting e numa pequena seleção de lojas de venda de livros independentes. Para comprar através da Europa clique aqui.

~Um chá e um livro~

Standard