Chá do Manifesto

“Like a Girl”

O dia da mulher é quando nós queremos, por isso, pensei em prolonga-lo mais um pouco.

As campanhas que surgiram dedicadas às mulheres foram geniais e, algumas tocaram de uma maneira especial. A campanha da Procter & Gamble, “Like a Girl”, feita para a Always foi uma delas.

Aqui no headshake somos grandes fãs desta máxima da Always e já lhe demos destaque mostrando o vídeo fenomenal do intervalo do Super Bowl 2015.

Essa campanha mostrou-nos uma reflexão sobre o que é, afinal, fazer algo “como uma menina”. Lutar “como uma menina”, correr “como uma menina”,  jogar a bola “como uma menina”. Foi um sucesso absoluto e na comemoração do Dia Internacional da Mulher surge uma sequela.

A expressão “like a girl” é geralmente utilizada de uma forma depreciativa, e numa altura em que se dá maior destaque à mulher, a Always aparece com uma nova campanha em que a expressão ganha um novo significado, muito mais positivo.

A Always pretende assegurar que jovens raparigas de todo o mundo tenham confiança ao passar pela puberdade, mostrando as coisas fantásticas que podem fazer e alcançar, de modo a que essa confiança se prolongue na vida adulta.

O vídeo desta nova campanha “Always Like a Girl – Stronger Together” revela meninas e mulheres de diferentes idades, países e idiomas a mostrarem como correm, lutam, calculam e praticam desporto e, afirmam que fazem algo “like a girl”, algo que significa que conseguem atingir resultados de excelência.

Homens….se têm orgulho nas vossas mães, irmãs, primas, tias, avós, esposas, namoradas e amigas partilhem com elas este vídeo, mostrem que têm orgulho nas mulheres da vossa vida!

Mulheres…se têm orgulho em ser Mulheres vejam e partilhem este vídeo maravilho!

 ~ Shaking Like a Girl ~

Standard
Chá do Manifesto

o dia da mulher e o chá da Débora

Ser Mulher ❤

Ser Mulher … bem, ser Mulher é muito mais complexo do que aquilo que podemos tentar imaginar ou exprimir mas … não existe nada mais belo do que … SER MULHER!

Ao longo da minha vida consegui perceber, através de experiências e vivências, processos de socialização e observação que não existe nenhum ser mais forte do que a mulher.

Nós, mulheres, somos capazes de enfrentar o mundo, os nossos maiores medos e inseguranças, esconder as nossas tristezas, mascarando-as com um sorriso que mesmo forçado se mostra verdadeiro e genuíno. Somos capazes de mover montanhas para alcançar os nossos objetivos, a nossa felicidade mas … Acima de tudo, somos um ser, e atrevo-me a dizer que somos O SER que mais se preocupa com os outros e com o seu bem-estar; prova viva disso é que a mulher foi escolhida para dar à luz e amamentar o seu descendente, protegendo-o toda a vida.

A Mulher é um ser que suporta a dor de uma forma incrível, seja ela física ou psicológica e, mesmo que esta seja infernal, somos capazes de nos levantar para mais um dia de trabalho… Tomamos um duche, vestimo-nos tão bem (só como nós sabemos!), passamos a nossa melhor base, o eyeliner, o rímel que nos proporciona um olhar mais marcante, arrumamos a nossa mala e ainda temos tempo para fazer a nossa cama e tomar o nosso pequeno-almoço … Saímos para a rua, com o maior sorriso e simpatia, cumprimentando os vizinhos com um grande “Bom dia”! Uau… Como somos especiais J

Somos MULHERES … Capazes de ter 1001 funções! Podemos estar a estudar, ter vários trabalho, tomar conta da casa e ter tempo para irmos ao ginásio, cuidar de nós! Para além disso, vamos às compras, jantamos fora e proporcionamos passeios românticos e momentos especiais ao nosso mais que tudo, lanchamos com as amigas e jantamos com amigos, naquele restaurante que tanto gostamos! Com alguma vontade ainda vamos sair um pouco, dar um pézinho de dança ao som da nossa música preferida.

Os problemas? Nós somos capazes de esquecer os problemas quando o é mais adequado! Mas, mais importante que isso somos capazes de os resolver, leve o tempo que levar, custe o que custar. Digamos que o passado ninguém nos tira, mas a mulher é capaz de tirar partido de todas as dificuldades pelas quais já passou, tornando-se cada vez mais forte!

Mulheres … Como somos especiais! Somos lutadoras, inteligentes, bonitas, encantadoras, charmosas, sensuais, bem-falantes, simpáticas, batalhadoras, corajosas… Somos fantásticas!

A mulher é ÚNICA e isso ninguém pode contestar. Somos tudo isto e muito mais pois cada um de nós tem um brilho especial e somos uma caixinha de surpresas podendo conter milhões de encantos!

O segredo é saber sê-lo, saber ser MULHER, da melhor forma… Ser uma mulher autêntica e fiel a si mesma… SEMPRE :)

deby

~ Débora Boto

Standard
Chá do Manifesto

o dia da mulher e o chá da Mariana

Uff… O quanto me custa escrever sobre as mulheres, mesmo sendo eu uma. Para as perceber acho que o melhor princípio será, conhecer-me a mim própria, partindo do princípio que a instabilidade emocional é um mal comum.

Não seria justo descrever-vos pondo-me noutra pele que vos julgará com os olhos de um Homem, tenho que vos julgar com empatia… São as minhas finas mãos, de unhas vermelhas, que batem nas teclas e me fazem querer assumir tamanha sensíbilidade. É isso que partilhamos, é isso que nos define, é isso que não nos deixa ser tão pragmáticas, mas nos permite fazer com amor. É isso que nos faz genuinamente meigas, maternais e condescendentes, tanto quanto agressivas, egoístas e impulsivas. Quer queiramos quer não é isso que nos distingue do homem sensato, que vive a lógica das coisas numa postura relaxada, nós mulheres possuímos a delicadeza. E assim se equilibra o universo.

A verdade é que toda essa emotividade nos permite sermos quem quisermos, podemos escolher até, ser o homem racional. Somos sereias que furam as águas mais profundas, limitadas à terra hostil de preconceitos, somos camaleões de pestanas compridas, mutantes com perfume de pêssego, serpentes que encantam com a naturalidade das suas curvas, mas que se preservam ao abrigo do mistério.

mary

~ Mariana Cruz

      

Standard
Chá do Manifesto

o dia da mulher e o chá da Joana

Com muito orgulho sou mulher! Igual a muitas mas diferente de todas!

Todos os dias são (ou deviam ser) o nosso dia mas hoje, 8 de março, é assinalado o Dia Internacional da Mulher e, por isso, faz ainda mais sentido reflectir sobre o ser Maravilhoso que somos.

Não quero entrar em discussões sobre sexo forte ou fraco, não quero desvalorizar o papel do homem, quero sim realçar o papel da mulher que pelas suas particularidades a faz ser Única.

A maneira como a mulher é vista e se comporta na sociedade tem-se alterado ao longo dos anos e muito temos conquistado. Os tempos e as vontades mudaram, ganhámos voz, somos Livres. Hoje votamos, hoje estamos inseridas no mercado de trabalho e ocupamos cargos importantes de chefia, hoje somos mães e donas de casa e conciliamos a vida pessoal com a vida profissional, embora nem sempre seja fácil. Fazemos mais do que uma tarefa ao mesmo tempo, somos Habilidosas, dedicadas, atentas, determinadas e Encantadoras. Procuramos a perfeição num mundo com tantas imperfeições, lutamos por justiça e procuramos o amor, o que faz de nós Românticas incuráveis…

Mas o que é ser mulher?

Ser mulher é usar sabrinas de manhã e optar por saltos altos à noite; ter o armário da casa de banho repleto de cremes, amaciadores e maquilhagem; estar na indecisão entre esticar o cabelo ou fazer caracóis; é gostar de ir às compras; é marcar cafés com as amigas, fazer mil e um planos, falar de tudo e de nada, olhar para o relógio e ver que já passaram horas e nem se deu por isso…; é ver séries e filmes e chorar baba e ranho; é estar no sofá a deprimir e a comer chocolate; é sonhar acordada; é estar bem-disposta agora e resmungar cinco minutos depois porque alguma coisa nos irritou; é saber que temos a vida facilitada para entrar nas discotecas; é ter dias em que achamos que o mundo está contra nós e que tudo está errado; é valorizar o que temos quando nos confrontamos com situações/pessoas que estão piores que nós; é ficar triste quando pessoas nos desiludem; é querer sempre mais mas achar que temos tudo quando estamos com aqueles de que gostamos,… 

Ser mulher nem sempre é fácil… ou se calhar até é, mas temos tendência para complicar coisas que às vezes até são simples. O importante é gostarmos de nós e reconhecermos o nosso valor sem deixar que nada nem ninguém nos desrespeitem. Devemos valorizar-nos e valorizar as mulheres que nos rodeiam: a nossa mãe, a nossa avó, as nossas amigas. Todas elas são únicas e especiais e dão cor e vida ao (nosso) mundo. Nós, mulheres, conseguimos tudo, somos a prova de que querer é poder e temos sempre de acreditar que é possível. Ser Mulher é Mágico!

~ Joana Alves

Standard
Chá do Manifesto

A igualdade pauta-se pelas pessoas, não pelo género.

Hoje Dia Internacional da Mulher, para ela, para mim, para a mulher considero que fará mais sentido quando este dia não existir. Seria bom presságio. Talvez, acredito, sinal de conquista. Sinal de liberdade. Sinal de igualdade.

Sinais sem lugar na realidade em que vivemos, e pior, que tendem a perder-se. Muitos valores de Abril não só ficaram por cumprir como, estão agora mais distantes. Regredimos! E dizer que a igualdade existe é cair numa ilusão imensa.

A mulher sempre conheceu um papel secundário. Secundário nas oportunidades e nas escolhas. Entre as mulheres e os homens as oportunidades são distintas, os caminhos mais longos e com mais obstáculos, e portanto, mais difíceis. Em tudo, o princípio é sempre o mesmo – provar, a mulher tem de provar isto aquilo e aqueloutro, provar os seus limites para ser aceite. Coisa que o homem não têm, ele não têm de provar tanto. O homem não é mais que a mulher. Nem a mulher quer ser mais que o homem. Somos todos pessoas, merecemos todos os mesmos direitos, pena que isso não se concretize!

E numa sociedade, onde mulheres têm as mesmas profissões que os homens recebem salários diferentes, onde preparadas pelas mesmas universidades e tão ou mais capacitadas têm mais dificuldades no mercado trabalho, a desigualdade, a discriminação e o sexismo são chavões evidentes, mas muito bem disfarçados.

A educação pauta-se pela capacidade, não pelo género. O trabalho pauta-se pela qualidade e profissionalismo, não pelo género. A sociedade pauta-se pelos valores, não pelo género. A igualdade pauta-se pelas pessoas, não pelo género.

As grandes empresas são muito resistentes com as mulheres, e por isso, é raro encontramos mulheres na direcção de uma empresa, muito menos na administração. E não querendo tomar, de todo, cor partidária ou defender política, é com algum “orgulho feminista” que vejo muitas mulheres a deputadas, a ministras, é um esse espaço que se conquista e ainda bem, tal como noutros sectores.

A mulher sempre foi muito exigente consigo própria que os homens, a sociedade assim determinou e determina. Essa força está-lhe no ADN. E hoje, sinto a mulher mais amadurecida, mais lutadora ainda, mais emancipada e mais dedicada. Acredita que o amor tudo concebe, e está de igual forma para si, para as pessoas, para o que têm e para o faz. A mulher Balzaquiana é agora mais nova, jovem mas crescida. 

Não conheço ser mais forte no mundo que a mulher. Estamos no século XXI, esta é a mulher que vejo, mas a luta é já do século XX.

Este dia existe não para a mulher ser lembrada ou notada, este dia existe para a mulher não ser esquecida. A mulher não quer ser esquecida. Parece redundante, mas esquecer a mulher, é esquecer uma luta. 

mulher

~ mulher, igualdade e um chá ~

Standard