Até perder a vista

Verão com Jacques Tati

É já hoje! 

Leopardo Filmes e a Medeia Filmes apresentam já a partir de hoje, pela primeira vez em Portugal, a obra integral de Jacques Tati. O ciclo intitula-se “Verão com Jacques Tati” e vem ainda a tempo do Verão para quem pensa que este já está no final.

Todos os filmes do comediante e realizador francês Jacques Tati foram restaurados em versões digitais e voltam ao cinema a partir de hoje, dia 20 de Agosto, no Espaço Nimas em Lisboa e, no Porto a partir de 1 de Setembro no Teatro Municipal Campo Alegre que reabre para receber a obra do cineasta que fascina todas as gerações.

Jacques Tati, nome artístico de Jaques Tatischeff, realizador, actor e argumentista, caracteriza-se pelo imaginário hilariante que cria em cada uma das suas obras. Neste programa, será possível ver as seis longas-metragens deste mestre francês da comédia – “Há Festa na Aldeia” (1949), “As Férias do Sr. Hulot” (1953), “O Meu Tio” (1958), “Playtime – Vida Moderna” (1967), “Sim, Sr. Hulot/Trafic” (1971) e “Parade” (1974) – e ainda sete curtas-metragens inéditas comercialmente em Portugal.

“Em HÁ FESTA NA ALDEIA Tati é François, o carteiro local que faz o melhor para seguir os seus colegas americanos, após ser ridicularizado pela população. No filme AS FÉRIAS DO SR. HULOT ele interpreta pela primeira vez a sua personagem carismática, o Sr. Hulot que perturba as férias de veraneantes demasiado sérios. Em O MEU TIO, o Sr. Hulot ressurge animando uma criança aborrecida com os seus pais. Em 1959 foi distinguido com o Óscar para Melhor Filme Estrangeiro. PLAYTIME – VIDA MODERNA traz-nos o inesquecível SR. HULOT numa extraordinária sátira à tecnologia industrial e à vida numa grande cidade, Paris. Considerado pelo British Film Institute um dos 50 Melhores Filmes de Todos os Tempos. Em SIM, SR. HULOT – TRAFIC, o Sr. Hulot inicia uma aventura pelas autoestradas da França e da Bélgica enquanto se dirige para Amsterdão, onde irá exibir o seu protótipo de automóvel. PARADE é a última longa-metragem de Jacques Tati e apresenta-se como um tributo ao mundo do espectáculo.” – in rtp.pt

Jacques Tati morreu em 1982, vítima de uma pneumonia, deixando por concluir o projeto “Confusion”. 

A programação do Espaço Nimas já está disponível AQUI.

A acompanhar o ciclo, o Espaço Nimas acolherá uma exposição de cartazes de uma das longas-metragens de Jacques Tati, reinterpretadas pelos ilustradores portugueses André Letria, Marta Monteiro, Madalena Matoso, Sara-a-dias, João Fazenda e Catarina Sobral.

Marta Monteiro / Sara-a-dias

Jacques-Tati-JoaoFazenda e Catarina Sobral

João Fazenda | Catarina Sobral

Jacques-Tati-andre letria e Madalena Matoso

André Letria | Madalena Matoso

Esta é uma oportunidade única de (re)visitar a obra integral do mestre Tati, que foi um dos mais brilhantes observadores da vida moderna, e que criou um estilo e visual únicos nos seus filmes.

Os bilhetes para estas sessões já estão à venda por 6€, às segundas 4€. Na compra de quatro bilhetes, é oferecido o quinto. Para menores de 15 anos, o bilhete tem o custo de 3€.

~ A arte e o cinema

Standard
Até perder a vista

Chovem sardinhas!

Já “chovem” as sardinhas de 2015! Estes são os 5 peixes vencedores do concurso das Festas de Lisboa deste ano, promovido entre novembro e dezembro de 2014 pela Empresa de Gestão de Equipamentos e Animação Cultural (EGEAC) da câmara de Lisboa! Em Junho a cidade ganha vida com estas novas ilustrações conseguidas por três portugueses, uma italiana e um francês. 

As Festas de Lisboa realizam-se em Junho e têm vindo a dinamizar a vida nos bairros típicos da Capital com concertos, marchas e diversas atividades culturais.

Há 12 anos que a sardinha é a imagem principal das celebrações lisboetas e tem dado muitos frutos à imaginação de milhares de criativos nos últimos cinco anos em que se realizou o concurso. Este ano foram recebidas perto de cinco mil participações com participantes oriundos de mais de 50 países. 

O lema do concurso era “A minha vida dava uma sardinha”, tendo os participantes que dar asas à imaginação sobre uma silhueta de sardinha, de forma criativa, fazendo alusão a algo que espelhasse a cidade de Lisboa e os seus costumes.

Foram vencedoras, uma sardinha nadadora-salvadora da italiana Marta Sorte, uma sardinha Santo António do fogareiro por Alberto Faria, um vendedor de “Mines” por Rui Fazenda, um pescador do francês Martin Jarrie, e ainda Vasco Santana a pedir lume a um candeeiro, de Delfim Ruas.

Segundo a TVI 24, a EGEAC vai ainda selecionar outras sardinhas concorrentes, “propostas não-vencedoras, mas igualmente excecionais”, para serem apresentadas numa exposição no espaço da Fundação Millennium BCP.

A apresentação em vídeo foi criada pela ilustradora Catarina Sobral, que animou todos os peixes vencedores com a música de Deolinda. 

Falta ainda dizer que cada sardinha valeu um prémio monetário de dois mil euros aos vencedores.

Em breve a cidade de Lisboa vai se encher ainda mais de cor e criatividade com sardinhas para todos os gostos. Esta é uma forma diferente de ver a cidade, que demonstra o espírito e os costumes vividos da mesma através do design e da ilustração, cativando lisboetas e visitantes a sentir a vida dentro de uma sardinha. 

~Um chá e uma sardinha?~

Standard