Chá das 3

Travel Post #20 – Terceira, Açores

Quando o bichinho das viagens morde, já não há volta a dar! E, quando esse bichinho tem uma paixão pelos Açores, mais tarde ou mais cedo a volta ao arquipélago é inevitável.

Há dois anos fiz uma pequena paragem na ilha Terceira, mas foi só de passagem, uma vista de olhos muito breve em Angra do Heroísmo e Praia da Vitória. Fiquei com uma vontade enorme de voltar.

Desta vez a companhia foi a minha mãe, ela já conhecia São Miguel, achei por bem dar-lhe a conhecer a beleza do grupo central dos Açores.

Estivemos na ilha 4 dias e foi uma aventura pegada!

Acabadinhas de chegar à ilha, fizemos uma breve paragem na Praia da Vitória, observar o mar sereno e a areia negra. Já em Angra do Heroísmo, comecei por dar a conhecer à minha mãe as maravilhosas Lapas, que delícia, que saudades que eu tinha daquela sétima maravilha das ilhas.

O primeiro dia foi reservado para uma volta à cidade de Angra do Heroísmo. Fizemos tudo a pé com o mapa que pedi no Turismo com todos os pontos importantes.

Que cidade linda de morrer! Desde o Alto da Memória, à Fortaleza São Sebastião, a Marina, a Rua Direita com as suas varandas tão singulares e, claro, o Vasco da Gama.

O cansaço da viagem e do passeio a pé já acusava, portanto o Monte Brasil ficou para o dia seguinte.

Segundo dia na ilha e seguimos rumo à Fortaleza de São João Baptista. Esta fortaleza é um monumento militar de grandes dimensões, situado no Monte Brasil, um antigo vulcão extinto, que forma uma península na costa sul da cidade de Angra do Heroísmo, e duas bonitas baías (a de Angra e do Fanal), e seria parte dominante de um conjunto de fortificações que visavam a protecção de Angra do Heroísmo.

O Monte Brasil subimos todo a pé, tem vários trilhos que levam às várias pontas. Se estiver minimamente limpo conseguimos ver a ilha de São Jorge ao longe.

Para explorar o resto da ilha já é necessário carro. Decidimos dar a volta à ilha por fora começando nas Cinco Ribeiras, Santa Bárbara, subimos um pouco até à Lagoa das Patas, Miradouro do Raminho, passando por várias piscinas naturais até chegarmos a Biscoitos, zona balnear da ilha, linda sem igual e convidativa a mergulhos.

Mais um pouco e chegamos à Praia da Vitória, para um mergulho ao pôr do sol, subida ao Miradouro da Santa do Facho e para comer mais um prato típico da ilha, a Alcatra.

No terceiro dia fomos espreitar o Jardim Duque da Terceira, fica mesmo no centro de Angra mas escapou-nos no primeiro dia quando demos a volta à cidade.

O tempo neste dia estava pouco simpático, escuro, muitas nuvens, alguma chuva. O que tínhamos programado para este dia era visitar o centro da ilha, os pontos mais altos, as furnas e as grutas. A primeira tentativa de ver alguma coisa foi falhada, o nevoeiro era imenso, portanto decidimos descer novamente e ir até São Mateus da Calheta comer um belo peixe e mais um marisco característico das ilhas, as Cracas. O restaurante foi o Beira Mar, super recomendo, a comida e a simpatia.

As grutas só abrem às 14h, portanto, decidimos fazer nova tentativa nas Furnas de Enxofre, já não chovia e estava mais limpo portanto conseguimos fazer o trilho sem problemas e conseguimos ver tudo.

Depois fomos até ao Algar do Carvão, Gruta do Natal e Lagoa do Negro.

O Algar do Carvão situa-se no coração da ilha Terceira, no interior da Caldeira Guilherme Moniz, mais propriamente dentro de um vulcão adormecido, constituído por um cone vulcânico com cerca de 90 metros de altura, contendo no seu interior também uma lindíssima lagoa de águas cristalinas e tranquilas a cerca de 100 metros de profundidade. É algo a não perder para quem vai à Terceira, é de uma beleza inexplicável.

A Lagoa do Negro, é pequena mas tão serena, onde se ouvem apenas as árvores ao sabor do vento, fica junto à Gruta do Natal.

A Gruta do Natal pertence à Reserva Florestal Natural da Serra de Santa Bárbara e Mistérios Negros, toda a extensão foi composta por lavas fluídas que tomaram direcções diferentes, que deram origem ao túnel de lava. A Gruta teve outros nomes, mas ficou oficialmente com este nome a 25 de Dezembro de 1969, no seguimento de uma missa de Natal celebrada no local e aberta ao público.

Terminada esta parte da ilha decidimos ir ver o que nos restava da costa. Seguimos até Serretinha onde se consegue observar na perfeição os Ilhéus das Cabras.

No último dia já faltava pouco para ver, era dia de descontrair mais, despedir da cidade de Angra e das Lapas.

O dia estava lindo, céu praticamente limpo. Fomos ao Queijo Vaquinha, provar os queijos da ilha e lá há um pequeno miradouro no qual se conseguia ver perfeitamente São Jorge e um bocadinho do Pico.

Seguimos então para o ponto mais alto da ilha, a Serra de Santa Bárbara, com 1 021 metros de altitude. No caminho muito cuidado com o trânsito tão característico das ilhas, as vaquinhas, elas têm sempre prioridade.

Valeram a pena as várias tentativas de ir à Serra de Santa Bárbara, consegue ver-se praticamente toda a ilha. O Monte Brasil que parece agora tão pequeno, os Ilhéus das Cabras e, mais uma vez, São Jorge.

Para o fim deixamos a Serra do Cume. Eleva-se a 545 metros de altura e tem vista privilegiada para a cidade da Praia da Vitória e sua baía, a Planície das Lajes, a imensa planície e sua vegetação, além dos muros naturais de pedra.

As planícies do interior da ilha são conhecidas pelas suas “mantas de retalhos”, nome dado aos quadriláteros separados pelos muros de pedra vulcânica que abrigam as plantações das culturas locais, e que chamam muito a atenção pela sua forma geométrica.

A Serra do Cume é sem dúvida um dos meus locais favoritos da ilha Terceira.

Foram 4 dias de muitas aventuras com aquela nossa falta de orientação do costume, sem dúvida trouxemos o coração cheio. Espero que tenhas gostado Mãe, obrigada pela companhia nesta aventura! Que venham muitas mais!

Adoro os Açores, mas este grupo central tem um lugar especial no coração.

5 ilhas já estão, faltam 4…até breve Açores!

~ Coleccionando momentos…! ~

Standard
Shake it Now, Shake the Press

O dia em que tirámos o prefixo ao Impossível!

Cá venho eu falar mais uma vez sobre os meus dois grandes amores, a comunicação e o desporto, não resisto!

Ainda tremo de emoção, as lágrimas de alegria foram inevitáveis, Portugal é Campeão Europeu de Futebol pela primeira vez na história!!!

Mas, nem só de futebol se faz o desporto e também temos mais atletas que nos últimos dias nos deram motivos de orgulho, são eles: o canoísta Fernando Pimenta, as corredoras Sara Moreira, Jessica Augusto e Dulce Felix; a triplo-saltadora Patrícia Mamona; e o lançador de peso Tsanko Arnaudov. Elas e eles conquistaram medalhas nos europeus das respectivas modalidades em Moscovo e Amesterdão.

Portugal invadiu os media mundiais! Isto, tudo graças ao título conquistado pela Selecção das Quinas em França no passado dia 10 de Julho. A vitória de Portugal no Euro 2016, valeu mais de 60 mil notícias em apenas dois dias e foi destaque a nível internacional e fez da palavra “Portugal” a mais falada nos meios de comunicação social em todo o mundo.

Havia quem defendesse a “Nação Valente” (cognome atribuído à selecção portuguesa, pelo presidente da república Marcelo Rebelo de Sousa) e, claro, havia quem falasse mal. Mas, mal ou bem, a equipa portuguesa somou mais de 200 mil notícias nos media internacionais desde que Fernando Santos divulgou a lista de convocados, sendo França o país que mais referiu a nossa selecção com mais de 9 mil notícias.

Quem não sabia onde era o nosso “jardim à beira mar plantado”, passou a saber. A vitória das quinas atravessou o Atlântico e bateu recordes nos media norte-americanos e brasileiros.

Se tivemos jogos brilhantes, de tirar o fôlego e de arrepiar? Não…Se chegámos à final apenas com uma vitória? Ah pois chegámos! E até chegaríamos lá só com empates se fosse preciso. A verdade é que ganhou a selecção “fraquinha e nojenta que não jogava nada”!!!

Dificilmente serão esquecidos os momentos em que o Éder marcou o único golo contra a selecção francesa, o suficiente para fazer de todos nós Campeões Europeus.

Inesquecível! Memorável! Aquele momento que fica para a história, não só de Portugal, mas de todos nós!

Obrigada Éder!

Obrigada Rui Patrício!

Obrigada Rapazes!

Obrigada Portugal!

FB_IMG_1468524098862

~ Um chá cheio de emoção e orgulho português ~

Standard
Chá das 3

Andam aí uns zunzuns…

…que HBO está a caminho de Portugal!

Bem, quando vi esta notícia a minha reacção foi: “Será que é o 1º de Abril e ninguém me avisou?”. Mas depois comecei a ver um buzz extraordinário em torno deste assunto. Será mesmo verdade?

Se realmente é verdade que a HBO vai chegar a Portugal em breve, é uma notícia que me deixa extremamente contente podem calcular porquê certo?!

Para quem anda no mundo da lua e não sabe, a HBO é um canal norte-americano que se tem destacado pela produção de séries de sucesso, como “Game of Thrones”, “The Sopranos”, “Boardwalk Empire”, “Roma”, “Sex and the City”, e muitas mais.

Esta excelente notícia foi avançada num vídeo composto por diversas imagens de várias séries, acompanhadas pela mensagem “HBO coming soon to Portugal” (“Em breve em Portugal”). Na verdade vai ser mesmo a NOS Lusomundo TV que vai lançar um canal com conteúdos desta cadeia de televisão. Não foram divulgados mais pormenores até ao momento, mas já há um countdown no site hboportugal.pt . O que quer dizer que o canal estará pronto a estrear-se no início de Setembro.

Já há muitos pulos de alegria desse lado? Eu não caibo em que mim de alegria, já me estou a imaginar no sofá com o balde de pipocas ao lado!

HBO-Portugal

~ Aguardamos acompanhadas de um chá ~

Standard
Chá das 3

Marcas guardadas na memória estão de volta!

O LIDL na comemoração do seu 20º aniversário em Portugal decidiu surpreender e dar um miminho a todos os portugueses. Vai colocar à venda produtos criados há vários anos e que nas suas embalagens contam um pedacinho de história do nosso país.

Estes produtos são muito queridos aos portugueses, atravessaram e marcaram várias gerações, permanecendo sempre na memória. Talvez a minha geração já não ligue tanto a estes produtos, porque alguns até só ouvimos falar, mas como saudosista assumida que sou, adoro estas iniciativas.

Atum Minerva, café de cevada Delícia Negra, a clássica farinha Predilecta, os sabonetes Arch.Brito, as línguas da sogra, o xarope de groselha (tantas vezes eu bebi quando era pequena), e muitas outras coisas cheirosas e deliciosas vão regressar às lojas Lidl durante uma semana a partir de amanhã, 16 de Julho.

É uma óptima oportunidade para dar um miminho a um familiar que goste de recordar os vários momentos da vida, um cabaz cheio destas coisas boas seria uma surpresa em tanto. Até eu sou capaz de dar lá um saltinho, tanta delicia é difícil de resistir.

02

~ Um chá para recordar ~

 

Standard
Chá das 3

A miúda portuguesa no UK

Sinceramente nunca me imaginei a escrever este artigo…

A verdade é que quando vimos morar para o estrangeiro algumas coisas mudam, não só os hábitos, mas as nossas ideias deixam de ser tão preto no branco e começamos a ver as coisas de outras forma.

Saí há pouco tempo, mas sinto que já foi há meses e que consigo fazer uma pequena análise deste curto espaço de tempo.

Portugal, é uma forma simpática de dizer que somos calorosos, sabemos receber, temos boa comida, bom vinho e que temos o melhor jogador de futebol de mundo (o Cristiano Ronaldo vem sempre à baila).

Com isto quero dizer que, por sermos portugueses, muitas portas são abertas e as amizades começam a surgir, porque somos conhecidos pela personalidade do povo português e não pelos defeitos e falcatruas dos nossos governos (que obrigam muitos jovens a ir trabalhar para fora).

típica conversa de emigrante (que muitas vezes critiquei) existe e faz falta, até já começo a gostar!!!

O tempo, principal tema de conversa de todos os Gregos, Italianos, Espanhóis e Portugueses que vêm viver para o Reino Unido. É sem dúvida medonho andar de casaco de Inverno o ano inteiro!

A comida, algo que o meu organismo ainda não se conseguiu adaptar. A comida inglesa e eu não somos lá grandes companheiras. A parte boa é que já experimentei iguarias gregas e italianas que souberam a pouco. Mas… nada melhor que um bom prato português e, claro, o nosso amigo bacalhau que todos os estrangeiros comem e choram por mais!

As pessoas, depois do primeiro contacto as nacionalidades deixam de ter importância e servem apenas para trocar experiências e conhecimentos. A realçar que a entreajuda entre portugueses é fascinante!

Ser português é uma marca universal, que possui uma identidade e personalidade reconhecida. É uma forma de comunicar um modo de estar e ser.

Sentimos a falta de Portugal? Sinceramente pensava que não, que apenas ia sentir falta das pessoas que por lá ficaram. São as relações e os afectos que me movem e afastar-me da minha família e amigos custa… custa mesmo!
Mas sim, dou por mim a sentir a falta do cheiro de Portugal. Dos Pastéis de Belém. Das saladas com queijo fresco. Do cheiro do mar. Das tardes de esplanada. Das noites que se tornam dia. Do calor…

Adoro estar aqui, mas Portugal é Portugal e “ser português” é uma GRANDE marca!

eleltrico

~ Um desabafo de uma portuguesa com saudades de Portugal

Standard
Shake it Now

Os Festivais de Verão estão a chegar!

Música, sol, mar, natureza e festa é a combinação perfeita para os dias quentes deste verão.

O número está longe de estar encerrado, mas prepara-te para as noites com os amigos, a poeira levantada e os litros de cerveja… são 827 concertos que podes escolher!

ng2034251

Já pensaste a que festivais de verão queres ir este ano?

A headshake diz-te quais é que não podes faltar :)

Junho

  • NOS Primavera Sound – 4 a 6 de Junho no Porto
  • MED – 25 a 27 de Junho em Loulé

Julho

  • NOS ALIVE – 9 a 11 de Julho em Algés
  • Sumol Summer Fest – 2 a 4 de Julho na Ericeira 
  • Super Bock Super Rock – 16 a 18 de Julho no Parque das Nações
  • MEO Marés Vivas – 16 a 18 de Julho em Vila Nova de Gaia
  • Milhões de Festa – 23 a 26 de Julho em Barcelos
  • EDP Cool Jazz – 19, 23, 28, 29 , 30 e 31 de Julho em Oeiras
  • FMM sines – 17 a 25 de Julho em Sines

Agosto

  • MEO Sudoeste – 5 a 9 de Agosto na Zambujeira do Mar
  • Bons Sons – 13 a 16 de Agosto em Cem Soldos, Tomar
  • O Sol da Caparica – 13 a 16 de Agosto na Costa da Caparica
  • Vodafone Paredes de Coura – 19 a 22 de Agosto em Paredes de Coura
  • Crato – 26 a 29 de Agosto no Crato

Setembro

  • LISB-ON – 5 e 6 de Setembro em Lisboa
  • Caixa Alfama – 18 e 19 de Setembro em Lisboa

pitchfork-music-festival-chicago-IL_13034722758633

~ shaking the festivals ~

Standard
Chá das 3

“Red Premium Gin” made in Valença

Nasceu o primeiro Gin Tinto do mundo, e é Português!

No passado dia 31 de Março começou a ser distribuído para mercado nacional o “Red Premium Gin”, o primeiro gin tinto do mundo, produzido no norte do país, em Valença.

A ideia começou há cerca de um ano e meio, quando estavam a fazer experiências para uma outra bebiginda.

O responsável pela produção, João Guterres, ligado ao sector há 50 anos, percebeu que tinha potencialidades para criar algo novo, uma bebida “floral” e que promete cativar. Fascinante como as melhores ideias surgem quando menos se espera não é?

O Gin Tinto tem 14 ingredientes, com destaque para o aneto, loureiro, nevêda, folha de Salgueiro, flor de sabugueiro, ervas de São Roberto, erva cidreira, Lúcia Lima, folha de eucalipto, o alecrim, alfazema, e o cítrico da casca da laranja verde, papoilas e amoras silvestres e perico, um fruto típico de Valença. É, portanto, um gin diferente e mais frutado, promete apaixonar até mesmo aqueles que não são fãs da bebida.

Começaram por se produzir 5 mil garrafas e, em poucas horas, estava quase tudo vendido.

Cada garrafa tem o custo de 29,80€ e as expectativas são elevadíssimas, a Bélgica, Holanda e Luxemburgo já estão na corrida para comercialização da bebida.

A apresentação pública da bebida será no próximo dia 23 de Abril em Valença.

gin-tinto310115

~ O que é Nacional é Bom ~

Standard